Pórtico da Exposição Farroupilha - 1935

Pórtico da Exposição Farroupilha - 1935
Minha foto
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

FOTO ADIVINHAÇÃO

FOTO ADIVINHAÇÃO

Hoje estamos postando uma nova "Foto Adivinhação" e dando o resultado da anterior.

A resposta correta era: A Rua Mostardeiro

A imagem que estamos postando hoje é de uma antiga praça de POA . Na imagem aparecem tres grandes prédios. Os dois que estão situados mais à direita existem até hoje e estão preservados na sua arquitetura original. O prédio da esquerda já desapareceu mas abrigava um tradicional cinema de Porto Alegre.


Que local é este? Vale citar as ruas, esquinas etc


Os acertadores receberão uma foto brinde, em alta definição e que poderá ser ampliada e enquadrada se assim desejarem.

Participe , voce pode tentar várias vezes até acertar

Mande sua resposta para:

ronaldomarcos.bastos@gmail.com

quarta-feira, 30 de março de 2011

Bondes em Porto Alegre - Parte I

A "Maxambomba"
Infelizmente não se tem nenhum registro fotográfico conhecido da Maxambomba. A única imagem que conheço é esta charge do jornal satírico "O Século" em uma edição de 1866 e no qual o chargista Miguel de Verna satiriza  dizendo que: "É preciso ser marinheiro de longo curso para não deitar carga ao mar", numa clara alusão aos sacolejos e ao desconforto que os passageiros eram submetidos durante as viagens naquele veículo.
Na fotografia abaixo, aparecem os trilhos que serviram a Maxambomba. Eram de madeira e muito irregulares como se pode observar na imagem. Ao fundo a igrejinha do Menino Deus
Fotografia: 1880

Estação e Oficinas da Companhia Carris de Ferro Portoalegrense

Quando da instalação da Companhia Carris de Ferro Portoalegrense em 1873, foi construída a garagem e oficinas em um terreno quase na esquina da João Pessoa com a 1º de Março (atual Sarmento Leite).
O edifício que aparece na fotografia foi preservado quando ocorreram as  duas ampliações: a primeira, em 1908, quando se formou a Companhia  Força e Luz e a segunda, quando o sistema de bondes em Porto Alegre passou ao comando da Bond and Share em 1928. Quando foi demolida na década de 70, logo após a desativação do sistema de bondes em Porto Alegre, este módulo fazia parte do edifício da Companhia Carris na esquina da João Pessoa com a Sarmento Leite e cujos terrenos se estendiam até a Rua Lima e Silva.
Na fotografia abaixo, tomada em 1970, logo após a desativação do sistema de bondes de Porto Alegre, aparece a garagem e oficinas da Companhia Carris Portoalegrense na esquina da Sarmento Leite com João Pessoa. A seta vermelha está indicando o módulo original construído em 1873

A Linha do Menino Deus



Nas duas fotografias acima, tomadas no final do século XIX por Virgilio Calegari, podemos observar o fim da linha de bondes do Menino Deus. Em ambas, aparece a velha igrejinha e os trilhos da parte final do percurso que iniciava na Várzea. Foi a primeira linha de bondes de Porto Alegre. Quando da implantação dos bondes elétricos o fim da linha foi extendido e passou a ser a esquina da José de Alencar com a Avenida Praia de Belas.

Nesta fotografia, tomada na mesma época das duas de cima, observamos o bondinho iniciando a viagem de retorno. Ao fundo aparece uma parte da velha igrejinha.

As Primeiras Viagens dos Bondes Puxados por Burros - 1873

Esta raríssima fotografia tomada em 1873 mostra as primeiras viagens dos bondes puxados por burros. A fotografia é do Estúdio Ferrari e mostra o bonde Menino Deus.

A Linha Cemitério

A linha Cemitério foi uma das mais antigas implantadas pela Companhia de Carris de Ferro Portoalegrense. O bondinho subia a Oscar Pereira e chegava nas proximidades do Cemitério da Santa Casa cujos muros brancos aparecem ao fundo na fotografia (1890 aprox.). A linha era a mesma do Partenon mas tinha um desvio para o cemitério (ver mapa).

Bondes na Duque e Pantaleão Telles


Nas duas fotografias acima aparecem os velhos bondes puxados por burros em duas linhas diferentes.
Na fotografia acima ele passa na Rua Duque de Caxias quase na esquina com a Marechal Floriano depois de sair do ponto de partida em frente a Capela do Divino.
Na fotografia de baixo ele passa na Pantaleão Telles (atual Washington Luis) para contornar a península e ir ao centro da cidade na Praça da Alfandega.
Fotografias: Irmãos Ferrari - 1900

Os Bondes Partindo da Praça da Alfandega



As duas fotografia acima mostram o local de partidas dos bondes em frente à Praça da Alfandega. O outro local era a parte fronteira à Capela do Divino ao lado da Igreja Matriz. Observar que na fotografia de baixo é possível ver as duas bitolas de trilhos utilizadas. Os trilhos que aparecem a esquerda(bitola de 1,4m) são mais largos do que os da direita(bitola de 1m). Observar também que o bonde que aparece à esquerda (da Companhia de Bondes Carris Urbanos) é bem mais largo do que o que aparece à direita (da Companhia Carris de Ferro Portoalegrense).
Fotografias: Irmãos Ferrari - 1885
Neste mapa é possível observar as linhas operadas pela Companhia Carris de Ferro Portoalegrense em 1888. Na linha pontilhada aparece a antiga linha da Maxambomba.
Retirado e Modificado do Livro: Cento e Onze Anos de Transporte - Sec. dos Transportes - 1976
No mapa de baixo, de 1896, podemos observar o traçado das linhas das duas companhias e os locais onde chegavam os bondes de tração animal
Retirado e Modificado do Livro: Cento e Onze Anos de Transporte - Sec. dos Transportes - 1976

A Linha do Caminho Novo

Os bondes saiam da Rua dos Andradas, em frente a Praça da Alfandega, faziam o contorno pela sete de setembro passando em frente ao Mercado Público e seguiam para o Caminho Novo. Na fotografia acima um deles passa em frente à Doca ao lado do Mercado.
Na  fotografia abaixo aparece em detalhe o bonde da foto de cima.
Fotografia: Irmãos Ferrari - 1895


Na fotografia acima podemos ver o bondinho iniciando seu trajeto pela Voluntários da Pátria em direção ao Arraial de Navegantes. 
Na fotografia abaixo o bondinho já passando pela Voluntários da Pátria  nas proximidades da Rua Ramiro Barcellos.
As duas fotografias são do final do século XIX

Companhia de Bondes Carris Urbanos

Nesta fotografia o então governador Julio de Castilhos acompanhado de José Montaury de Aguiar Leitão, inaugura no dia 15 de janeiro de 1893 as operações da Companhia de Bondes Carris Urbanos.
Na fotografia abaixo, um dos sócios majoritários e organizadores desta companhia, o empresário Manoel Py em fotografia de 1920.

sexta-feira, 25 de março de 2011

O Aniversário de Porto Alegre

Porto Alegre – 239 Anos
26 de março de 2011

Muitos me perguntam porque o aniversário da cidade é 26 de março e minha resposta muitas vezes não convence aos meus amigos. Realmente refere-se a criação naquela data em 1772, da Freguesia (termo usado na época para designar uma Paróquia) de São Francisco do Porto dos Casais separando-a da então Freguesia de Nossa Senhora da Conceição de Viamão. Na ocasião foi nomeado vigário o padre José Gomes de Faria que tinha sido vigário em Taquari.
Dom Antonio do Desterro
Esta nova Freguesia foi criada por D. Antonio do Desterro que era Bispo do Rio de Janeiro e tinha jurisdição sobre todo o território do Rio Grande do Sul.
A criação da Freguesia se deu por solicitação do Governador José Marcelino de Figueiredo, em 1771, devido ao deficiente atendimento religioso que a recente povoação recebia.
José Marcelino de Figueiredo
Como se observa, a influencia religiosa acabou por definir a data do aniversário de nossa cidade. Entretanto, em 05 de novembro 1940 o então prefeito José Loureiro da Silva comemorou festivamente o Bi-centenário da cidade.
José Loureiro da Silva - 1940
Naquela data a Sesmaria de Santana (onde se encontra atualmente a cidade de Porto Alegre) foi concedida a Jeronimo de Ornelas em 1740.
Mapa da Sesmaria de Santana
Retirado do Livro: Porto Alegre a Cidade e Sua Formação - Clovis Silveira de Oliveira
Como se observa, existiriam outras datas que poderiam ser consideradas como sendo a do aniversário da cidade. Não me cabe criticar, mas acredito que a chegada dos açorianos seria a data mais adequada ou então a da concessão da sesmaria a Jeronimo de Ornelas. Nada contra a data religiosa mas não temos somente católicos na cidade.
Todas estas discussões entretanto são menores diante da capital de nosso estado que, independente da data definida para seu aniversário, continua a ser uma das mais belas e acolhedoras cidades do Brasil.  

quarta-feira, 23 de março de 2011

O Cais da Alfandega de Porto Alegre

Dom Pedro II Chega ao Cais da Alfandega - 1865
O Brasil estava em guerra com o Paraguai e D.Pedro II vem a Porto Alegre com toda a família real  para visitar o front de batalha. O dia do desembarque no Cais da Alfandega foi gravado por Luis Terragno nesta belíssima fotografia mostrada acima. Como se pode ver, naquele dia de outubro de 1865 chovia muito em Porto Alegre e as condições de luminosidade não eram as melhores para a época.
Na fotografia acima podemos observar uma fragata imperial fundeada em frente ao Cais da Alfandega de Porto Alegre. A fotografia é da mesma época da chegada de D. Pedro o que leva a crer que este navio tenha feito parte da frota de acompanhamento

Nesta fotografia colorizada manualmente, podemos ver o velho edificio da Alfandega que ficava situado bem em frente ao cais. Sua localização era onde hoje se encontra o monumento ao Gal. Osório no interior da Praça da Alfandega. Foi construído em 1820 e demolido por volta de 1912.

Vista Geral do Cais da Alfandega

Esta fotografia panoramica obtida por volta de 1900, mostra o Cais da Alfandega em quase toda a sua extensão. Observa-se o trapiche(1804) e o edifício da Guardamoria(1871). Uma das escadarias de granito pode ser vista e a outra está encoberta pelo trapiche.A esquerda, semi-encoberto pelas árvores, aparece o antigo edifício da Alfandega. Ao fundo o edifício da Delegacia Fiscal(Tesouro Federal) que foi demolido por volta de 1950 e em cujo terreno foi construído na década de 60 o edifício sede do Banrisul

O Cais da Alfandega Visto do Guaíba

Nesta fantástica fotografia do Cais da Alfandega tomada pelo fotógrafo amador Herr Colembusch em 1895 podemos ver a extensão do paredão, as duas escadarias, o trapiche e o edifício da Guardamoria.No interior da praça é possível observar o edifício da Alfandega meio encoberto pelas árvores. O edifício da Delegacia Fiscal também aparece à direita. Ao fundo, parte do casario antigo da cidade com destaque para a velha Igreja Matriz, Teatro São Pedro e antigo Tribunal de Justiça.
A fotografia acima é um detalhe da anterior e mostra em destaque o trapiche e o edifício da Guardamoria.

O Cais da Alfandega em 1882

Nesta fotografia cujo autor é desconhecido, observamos o grande movimento do Cais da Alfandega em 1882. A grande quantidade de embarcações atracadas mostra que o velho cais encontrava-se no auge de sua utilização.
José Maria da Silva Paranhos o "Visconde de Rio Branco", era presidente do conselho de ministros do império. Foi por suas ordens que se concluiu o Cais da Alfandega de Porto Alegre em 1871.
Cabe lembrar aqui que o Visconde de Rio Branco era pai do Barão de Rio Branco (1845-1912), diplomata bastante conhecido e até hoje lembrado como uma das importantes figuras do império.

A Delegacia Fiscal - Tesouro Federal

Nesta fotografia, tomada em 1909, podemos ver o antigo edifício da Delegacia Fiscal (Tesouro Federal) que se situava exatamente no local onde hoje está a sede do Banrisul. Era um casarão de dois pisos construído por volta de 1875 para ser a sede da Delegacia Fiscal  do Império em Porto Alegre.
Nesta fotografia já é possível observar o abandono do Cais da Alfandega  nesta época onde lavadeiras já estendiam suas roupas e o movimento de grandes embarcações era inexistente.
As duas fotografias acima mostram a Delegacia Fiscal.
Fotografia Superior: Herr Colembusch - 1895
Fotografia Inferior: Virgilio Calegari - 1904
Nesta fotografia tomada em 2010, podemos ver a parte que foi aterrada para a construção do Cais Mauá. O MARGS e o Memorial do RGS aparecem semi-encobertos pelas árvores. Bem a esquerda na fotografia podemos observar parte do edifício sede do Banrisul que está construído nos terrenos onde se situava a Delegacia Fiscal.Ainda é possível ver a Avenida Sepúlveda e bem ao fundo o portão central do Cais Mauá.
Fotografia: Produtora EAD

Regatas no Cais da Alfandega

A fotografia acima mostra uma guarnição do Clube de Regatas Porto Alegre cuja sede, que aparece ao fundo, ficava situada na lateral leste do Cais da Alfandega. A primeira regata realizada na cidade no final do século XIX bem como muitas outras, ocorriam ao largo do Cais da Alfandega.
Na fotografia acima, tomada em 1908 de uma das janelas do Palacete Chaves, podemos ver parte da Praça da Alfandega e ao fundo o Cais do mesmo nome. Observar que à direita na fotografia, aparece a sede do Clube de Regatas Porto Alegre.
Na fotografia abaixo, tomada em 1898, vemos uma guarnição flutuando em frente ao Cais da Alfandega. Ao fundo aparece muito bem uma das escadarias além de populares que observavam a regata.

A Área Após os Aterros e Urbanização

Desenhamos este esquema em cima de uma fotografia panoramica do local onde se situava o Cais da Alfandega para facilitar a localização do mesmo. As linhas vermelhas pontilhadas mostram o local exato onde se situavam os paredões que formavam o Cais tanto no alinhamento da Sete de Setembro como pelo leste(D) e oeste(E). A seta amarela indica a localização do trapiche mandado construir por Paulo da Gama em 1804 e a seta azul o edifício da Guardamoria construído em 1871.Tudo o que que aparece após os paredões era água até 1912. O Santander Cultural já aparece bem a direita assim como a Delegacia Fiscal(E) que ainda não tinha sido demolida. 
A fotografia é de 1930
A fotografia acima foi tomada em 1922 e mostra parte do que foi o Cais da Alfandega. Onde estão estas árvores (ainda baixas) ficava o paredão central do Cais. A fundo, a direita, aparece a Delegacia Fiscal e a esquerda, o antigo prédio da Caixa Economica Federal.
Esta fotografia é um panorama da Praça da Alfandega e da Praça Rio Branco(onde ficava o Cais da Alfandega). Ela foi obtida por fusão eletronica de duas fotografias tomadas no mesmo dia. Onde estão os canteiros da Avenida Sepúlveda, situava-se o trapiche construído em 1804.
A Fotografia é de 1929
Fotografia tomada em 2010 mostra o interior da Praça da Alfandega e parte da Avenida Sepúlveda. Onde está o monumneto a Osório ficava situado o antigo edifício da Alfandega e os canteiros da Av. Sepúlveda estão no local exato onde ficava o trapiche e o edifício da Guardamoria.
Fotografia: Produtora EAD

A Área do Cais da Alfandega Vista do Satélite

Fizemos esta composição de desenho sobre fotografias tomadas por satélite(Google Maps) para facilitar a compreensão dos locais e estruturas que formavam o Cais da Alfandega bem como o que existe hoje no mesmo local.
Na fotografia acima podemos ver a área onde ficava situado o Cais da Alfandega bem como as edificações ao seu redor
1- Monumento ao Gal. Osório( local da antiga Alfandega)
2- Banco Nacional do Comércio(hoje Santander Cultural)
3- Antigo Correios e Telégrafos ( hoje Memorial do R.G.S.)
4- Delegacia Fiscal ( hoje Museu de Arte do Rio Grande do Sul -MARGS)
5 - Edifício sede do Banrisul (construído no local da antiga Delegacia Fiscal)
6- Edifício da Caixa Economica Federal
Seta Vermelha: Rua dos Andradas
Seta Amarela: Rua Sete de Setembro
Seta Verde: Rua Siqueira Campos
Seta Azul: Avenida Mauá

Na fotografia abaixo, fizemos um desenho sobre a fotografia anterior mostrando a localização das estruturas do Cais da Alfandega
1- Paredão
2- Edifício da Guardamoria
3- Trapiche
4- Edifício da Antiga Alfandega
Setas Amarelas: Escadarias do Cais da Alfandega

quarta-feira, 9 de março de 2011

A Rua General Camara

A Rua do Ouvidor em 1850(?)
Esta raríssima fotografia (única conhecida) mostra a então Rua do Ouvidor no ano de 1850 a se deduzir pela ausencia de edificações abaixo da Sete de Setembro e a localização do Guaíba. Atribuo esta fotografia a algum fotógrafo intinerante que tenha estado em Porto Alegre antes de Luis Terragno pois este somente começou a operar entre nós efetivamente a partir de 1854.

A Livraria Americana

A Livraria Americana era uma empresa de artes gráficas muito tradicional da cidade e tinha sede na esquina da General Camara com a Andradas. Na fotografia acima(1898) aparece a casa ocupada pela mesma desde a sua fundação.

No início do século XX foi construído um grande edifício no mesmo local como mostra a fotografia acima(1910). Na parte térrea funcionava a livraria e nos andares superiores, parte do tradicional Hotel Vienna
Nas duas fotografias acima podemos ver a esquina da Andradas com a General Camara bem como parte do Largo dos Medeiros. Na fotografia superior em 1914 e na inferior em 1934
As duas fotografias abaixo tomadas em março de 2011 mostram o edifício da antiga Livraria Americana nos dias atuais. O prédio encontra-se em sua arquitetura original mas está necessitando de restauração