Hospital Parque Belém

Hospital Parque Belém
Hospital Parque Belém - Vista da Parte Fronteira
Minha foto
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil

quarta-feira, 27 de abril de 2011

O Requinte e a Beleza na Época da Inauguração

O Hall de Entrada
                
As duas fotografias acima, tomadas em épocas diversas, mostram a escadaria do Hall de entrada bem como o luxo e a beleza das pinturas e das esculturas. A fotografia de cima é de 1922 e a de baixo mostra parte da escadaria antes do início do processo de recuperação. Observar que as pinturas da parede lateral ainda estão recobertas por tinta cinza.

A Sala Borges de Medeiros
As tres fotografias acima mostram a sala Borges de Medeiros.Durante muitos anos, antes de ser concluído o Palácio Piratini, Borges de Medeiros despachava desta sala. Ela tem dois espaços congregados, um para pesquisa e outro que dá acesso ao elevador Otis que foi instalado em 1915 (um dos primeiros instalados no estado). A sala tem ornamentos dourados em estilo gótico florentino e uma bela decoração em madeira entalhada. A mobília Luis XV e a tapeçaria eram luxuosas sendo que a mesa é cópia de uma existente no Museu de Versailles. As portas laterais abrem-se para o jardim de inverno. Boa parte dos móveis,esculturas e tapeçaria desta sala, encontram-se  no Palácio Piratini desde 1972.
As fotografias são de 1922.

O Salão Egípcio

Estas duas fotografias acima mostram o Salão Egípcio. Na fotografia superior observamos parte da rica decoração interna salientando-se as pinturas e a tapeçaria. Esta fotografia foi tomada pouco antes da inauguração em 1922.
Na fotografia inferior, um detalhe das pinturas das paredes na época em que se iniciou a restauração em 2007.
Na fotografia acima, tomada quando do início do processo de restauração, podemos observar uma das muitas esculturas do Salão Egípcio

O Salão Mourisco
                 
        
Outro belíssimo salão da Bilbioteca Pública é o Mourisco. Sua decoração foi executada em 1921 por Fernando Schlater e foi inspirada no Palácio de Alhambra. A pintura dourada é um destaque assim como o rico mobiliário, as esculturas e as luminárias em estilo gótico florentino. Em cada canto existe uma coluna de mármore com bustos de Camões, Shakespeare, Dante e Homero.
A fotografia de cima é de 1922 e a de baixo da época da restauração em 2007.


A Sala Guilhermino Cezar
Nesta fotografia, tomada em 1922, aparece um vista da sala Guilhermino Cezar, uma homenagem ao escritor, jornalista e dramaturgo, nascido em 1908 e falecido em 1993. Na escrivaninha a direita, aparece sentado o poeta Eduardo Guimaraens.

A Sala de Conferencias

Estas duas fotografias, tomadas em 1922, mostram a ampla sala de conferencias  que tinha uma grande tribuna em madeira lavrada e um grande número de cadeiras para a platéia que na fotografia de cima foram removidas.

As Salas de Leitura
Situada no pavimento superior, estava originalmente separada em duas alas: a dos homens e a das senhoras. Esta tinham uma decoração feminina e floral, de acordo com a imagem que se tinha da mulher na sociedade da época. As pinturas são de Fernando Schlater  e os arcos almofadados com medalhões em bronze dourado contendo efígies de brasileiros ilustres como: Visconde do Rio Branco, José de Alencar, Victor Meirelles, Pedro Américo, Carlos Gomes, Araujo Vianna, Castro Alves, Olavo Bilac,  Raul Pompéia, Euclides da Cunha, Araújo Porto Alegre, Machado de Assis, Joaquim Nabuco, Gonçalves Dias e Quintino Bocaiúva.
A fotografia é de 1922.


O Jardim Interno 
A sala Borges de Medeiros tinham portas para um Jardim Interno com grande número de folhagens e uma fonte de pedra com uma estátua central em estilo Art-nouveau. Na base desta estátua existe uma inscrição: "Envolve-me um sonho de beleza".

Sala da Administração
                
A administração da Biblioteca era formada por vários funcionários além da direção. Na fotografia superior aparece a sala da administração e na de baixo, todos os funcionários tendo ao centro o diretor Augusto Gonçalves de Souza Junior.
As fotografias são de 1930.

Estruturas Metálicas para o Acervo
As galerias metálicas para guarda do acervo bibliográfico foram concebidas dentro da concepção de arquitetura da engenharia do século XIX (tal como os interiores do Arquivo Público), quando a figura do engenheiro, com suas estruturas metálicas, sobrepujava a figura do arquiteto. A proposta lembra a estrutura metálica de Henri Labrouste para a Bibliothèque Nationale de Paris (1860-68). É inteiramente metálica, em três níveis, executada em chapas de aço pesando seis toneladas.Para que fosse possível a colocação destas estruturas, houve necessidade de um reforço no piso original.
Fotografia de 1922.







Um comentário:

  1. Sou de São Paulo, capital e acho que esse é um dos prédios mais bonitos e luxuosos que eu já vi. As fotos da déc. de 20 são belíssimas também

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário e e-mail!